Gordura, para que te quero?

Fala-se muito sobre o colesterol, mas será que todos sabem o que é e o que implica?

O que é o colesterol?

O colesterol é um tipo de lípido (gordura) com várias funções no nosso organismo, como por exemplo:

  • Formação das membranas das nossas células
  • Produção de hormonas (como a testosterona e o estrogénio)
  • Produção de ácidos biliares (necessários para digerir e absorver as gorduras)
  • Produção de vitamina D.

O colestrol é mau?

O colestrol em si é essencial e deve fazer parte da nossa dieta. O “problema” do colesterol não é a substância em si mas sim a quantidade que está em circulação no sangue.

O corpo armazena o colesterol de 2 formas principais:

·         LDL (lipoproteínas de baixa densidade) – também conhecido como “colesterol mau”

·         HDL (lipoproteínas de alta densidade) – também conhecido como “colesterol bom”

Apesar de não causar sintomas, a presença de colesterol (especialmente LDL) em excesso na corrente sanguínea contribui para formar placas ateroscleróticas, repletas de colesterol, que crescem dentro das nossas artérias, como exemplificamos na imagem a baixo.

Por sua vez, está bem estabelecido que isto aumenta de forma significativa o risco de vir a desenvolver uma doença cardiovascular (DCV), incluindo doença dos vasos que nutrem o coração – doença coronária, o cérebro -doença cerebrovascular e os membros – doença arterial periférica. Estas doenças podem provocar dor no peito (por falta de oxigénio nos tecidos do coração), enfartes, acidentes vasculares cerebrais (AVCs), entre outros problemas.

Por estas razões, geralmente recomenda-se que os níveis de colesterol no sangue estejam dentro de limites considerados saudáveis.

Quando estes estão acima do indicado, consideramos que a pessoa tem uma hipercolesterolémia – fator de risco que deve ser tratado idealmente com alterações na dieta, mas que podem também levar à necessidade de medicação farmacológica.

Na maioria das vezes o colesterol elevado associa-se a um padrão alimentar desadequado, com elevado teor de gorduras e acúcares refinados, mas pode também resultar de alterações genéticas. Por isto, é importante perceber junto do seu médico qual a causa dos valores elevados.

Factores de Risco para Doença Coronária:

Além dos valores de lípidos no sangue, existem outros factores que aumentam o risco de doença coronária, como:

·         Dieta pouco saudável (uma dieta saudável é rica em vegetais, fruta, fibra e gorduras saudáveis, como as que encontramos no peixe e oleaginosas e pobre em açúcar e gorduras saturadas e trans)

·         Tabagismo

·         Idade (o risco aumenta com a idade)

·         Género (Homens têm um risco superior às Mulheres para qualquer idade)

·         História familiar (irmão, irmã, pai ou mãe) de doença coronária numa idade jovem (Homens com menos de 55 anos ou Mulheres com menos de 65 anos)

·         Diabetes mellitus (tipo 1 e 2)

·         Hipertensão arterial

·         Doença Renal Crónica

Qual deve ser o meu valor de colesterol?

Diferentes pessoas precisam de alvos diferentes. De uma forma geral, pessoas sem doença cardíaca, devem procurar valores:

·         Colesterol total  – inferior a 190mg/dl

·         Colesterol LDL – inferior a 115mg/d

·         Colesterol HDL- superior a 40mg/dl nos Homens e 45mg/dl nas Mulheres

Como posso baixar o colesterol sem medicamentos?

  • Seguindo o padrão de dieta mediterrânica, que parece diminuir os eventos cardiovasculares, nomeadamente:
    • Evitando comer alimentos ricos em gordura saturada (como por exemplo: carne vermelha, manteiga e queijos) e gorduras trans (alimentos processados e comida pré-feita: bolachas, bolos). Reduzindoconsumo de produtos animais.
    • Preferir fontes de gordura polinsaturada como oleaginosas (ex: nozes, pistachos)
    • Alimentação rica em fibra (preferir cereais integrais, evitando hidratos de carbono processados). Alimentos ricos em fibra solúvel (presente na fruta, aveia, feijões, ervilhas e cevada por exemplo) são eficazes a reduzir o colesterol total e LDL.
  • Perdendo peso (se tiver excesso de peso ou obesidade)
  • Sendo mais ativo

Além disso, gostávamos de ressalvar que, mesmo que estas mudanças não sejam suficientes para normalizar o seu colesterol, melhoram a sua saúde de várias maneiras.

Posso comer ovos?

Não há problema se gostar e quiser comer ovos, pode come-los com moderação: os estudos mostram que consumir até um ovo por dia não parece aumentar o risco de doença cardiovascular. A verdade é que são uma boa fonte de proteína e não elevam muito o colesterol no sangue. Gorduras saturadas (ex: carne vermelha, manteiga e alimentos fritos) afectam mais os níveis de colesterol sanguíneo do que os ovos.

Devo tomar suplementos/ produtos específicos para baixar o colesterol?

  • Suplementos de levedura de arroz vermelho – este suplemento pode reduzir o colesterol LDL (pois pode conter o mesmo ingrediente que está nos medicamentos usados para reduzir o colesterol). No entanto, tal como outros suplementos alimentares, tem o problema da falta de regulamentação e padronização: há grande variabilidade da concentração do princípio activo (monakolina K) entre as diferentes marcas de suplemento e diferentes estirpes da levedura (muitos dos produtos comercializados têm pouco do ingrediente ativo). Além disso, não existem dados sobre a sua segurança a longo prazo.
  • Esteróis vegetais: comercializados em vários produtos, como a margarina, podem reduzir o colesterol LDL. No entanto, não foram estudados os seus efeitos nos desfechos clínicos (AVCs, enfartes) em humanos, e tem havido alguma evidência de efeitos prejudiciais em estudos com ratos, pelo  recomendamos ter cuidado com estes produtos.

Devo fazer medicação para reduzir o colesterol?

Em primeiro lugar, destacamos que o objetivo fundamental do tratamento é a redução do risco cardiovascular (tenham ou não DCV estabelecida) e não baixar o valor do colesterol isoladamente.

Assim, nem todas as pessoas com colesterol alto precisam de medicamentos. O seu médico tomará essa decisão consigo com base no risco cardiovascular global (calculado em consulta) e outros fatores como: a sua idade, história familiar e outros problemas de saúde.

A decisão de iniciar ou parar terapêutica farmacológica deve ser sempre baseada numa opinião médica e feita tendo em conta a sua história e especificidades. Pelo que não deve tomar decisões baseadas em artigos online, blogues, ou livros publicados. Nenhum destes têm em conta os fatores de risco individuais que o acompanham.

Se o seu médico prescreveu, mantenha a toma: pode não sentir nada diferente mas ajuda a prevenir enfartes, AVCs e morte.

Bibliografia:

·         https://www.health.harvard.edu/topics/cholesterol

·         https://www.uptodate.com/contents/high-cholesterol-the-basics?topicRef=87108&source=see_link

·         https://www.uptodate.com/contents/high-cholesterol-and-lipids-hyperlipidemia-beyond-the-basics?topicRef=87108&source=related_link

·         https://www.uptodate.com/contents/lipid-lowering-with-diet-or-dietary-supplements#PATIENT_INFORMATION

·         Norma DGS: Abordagem Terapêutica das Dislipidemias no Adulto

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s